• seg. out 2nd, 2023

Projeto “Partiu Trabalho” capacitou alunos de Canindé para o mercado de trabalho

ByJORNAL CEARÁ

jun 29, 2023

As oficinas teatrais realizadas em escola pública tiveram como objetivo ajudar os jovens no desenvolvimento profissional O Projeto “Partiu Trabalho” realizou, de 5 e 20 de junho, 10 oficinas teatrais para os alunos da escola pública “José Rozeno”, do município de Canindé (CE), buscando colaborar para a inserção dos jovens no mercado de trabalho. O projeto tem como objetivo contribuir no desenvolvimento de habilidades socioemocionais dos jovens, como a autoconfiança e a responsabilidade profissional e pessoal. Além disso, os alunos também trabalharam as habilidades de comunicação, expressão corporal, prática do improviso, integração, trabalho em equipe, cenografia e organização cênica. As oficinas do “Partiu Trabalho” aconteceram com grupos de até 30 alunos que, ao final, realizaram uma apresentação teatral aberta à toda a escola e comunidade, unindo e colocando em prática as técnicas teatrais e de responsabilidade profissional e pessoal que praticaram nas oficinas. “Faz parte da nossa estratégia de desenvolvimento social criar mecanismos de inclusão de pessoas, por meio da educação e trabalho. O projeto que estamos patrocinando em Canindé e Madalena tem exatamente esse propósito: fortalecer o conhecimento de jovens que querem e precisam ingressar no mercado, em funções que sonham ocupar. De forma lúdica, foi criado um ambiente de trocas e de protagonismo na busca pela posição de trabalho tão almejada,” reforça Giovana Porteiro, gerente de Responsabilidade Social Corporativa da Galvani. Viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura, “Partiu Trabalho” é uma realização do Ministério da Cultura, Governo Federal, União e Reconstrução com produção da Sancell Produções, e patrocínio da Galvani.   Sobre a Galvani Empresa 100% brasileira de produção verticalizada de fertilizantes. Atua no setor de fertilizantes desde a década de 1960 e é líder em produção e distribuição no Matopiba, região agrícola que compreende os estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Possui um complexo industrial em Luís Eduardo Magalhães e uma unidade de mineração e beneficiamento em Angico dos Dias, além de estar preparando uma nova fase de operação da unidade de mineração em Irecê – todos na Bahia. A companhia mantém também escritórios corporativos em Campinas (SP) e na capital paulista. Sobre o Ministério: A principal ferramenta de fomento à Cultura do Brasil, a Lei de Incentivo à Cultura contribui para que milhares de projetos culturais aconteçam, todos os anos, em todas as regiões do país. Por meio dela, empresas e pessoas físicas podem patrocinar espetáculos – exposições, shows, livros, museus, galerias e várias outras formas de expressão cultural – e abater o valor total ou parcial do apoio do Imposto de Renda. A Lei também contribui para ampliar o acesso dos cidadãos à Cultura, já que os projetos patrocinados são obrigados a oferecer uma contrapartida social, ou seja, eles têm que distribuir parte dos ingressos gratuitamente e promover ações de formação e capacitação junto às comunidades. Criado em 1991 pela Lei 8.313, o mecanismo do incentivo à cultura é um dos pilares do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que também conta com o Fundo Nacional de Cultura (FNC) e os Fundos de Investimento Cultural e Artístico (Ficarts). Essas ações são patrocinadas pela Galvani. Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura.